Crítica | “Que a sorte esteja sempre a seu favor.”

Nesse jogo de má administração: “Que a sorte esteja sempre a seu favor.”

"É tendência geral de todos os homens um perpétuo e irrequieto desejo de poder e mais poder, que cessa apenas com a morte."
(O Leviatã, Thomas Hobbes).


O ano de 2020 está sendo marcado por muitos acontecimentos, dentre eles a proliferação de um vírus que afetou o mundo inteiro. Algo que começou do outro lado do mundo, bem distante da realidade das pessoas que moram na ilha de Marajó, está bem perto de nós. Acreditávamos que estaríamos imune a isso, fizemos brincadeiras, memes, rimos de tudo e de todos, pensamos que por ser um lugar tão distante, seríamos esquecido pelo vírus. Até que chegou ao Brasil, ao estado do Pará e enfim ao território Marajoara. O que todos sabem é que o estado do Pará não possui estrutura para casos cotidianos, e como agir em meio a uma pandemia? Sem vacina, sem remédios básicos para atendimento da comunidade e o mais importante, sem a ação por parte das pessoas que foram escolhidas para representar o povo. Como dizer para a pessoa que vive da roça, da pescaria, o vendedor ambulante, o que vende açaí, e aos demais trabalhadores, que sua vida terá que parar e para sobreviver será preciso ficar em casa? Mas a questão é: Salvaterra hoje ocupa o 3º lugar como o munícipio com mais infectados do Marajó, totalizando 6 óbitos (até o momento que esta matéria foi escrita), o pódio que nenhuma cidade quer participar. Onde foi que erramos? a pergunta que não quer calar. Em munícipios maiores, como Soure, com menos infectados (em contexto territorial é o vizinho de Salvaterra), erramos em não bloquear as vias de acesso, erramos em não pensar em como ajudar o povo com projetos de intervenção, erramos na negligência, erramos em pensar só em nós e na nossa família e esquecemo-nos das outras pessoas. Assim como uma andorinha só não faz verão, um habitante só não faz um munícipio. Por fim, damos voz aos que não podem ser ouvidos, e que nesse jogo de má administração, que a sorte esteja ao nosso favor.

Comentários

Postar um comentário