SALVATERRA | VEREADOR É INTIMADO POR FISCALIZAR POSTO DE SAÚDE

No plenário da Câmara, o vereador Igor Barros foi surpreendido com a intimação por verificar as condições dos postos de saúde de Salvaterra
O vereador Igor Barros recebeu uma intimação, dentro do Palácio Legislativo, para dar explicações na delegacia de polícia de Salvaterra, nesta terça-feira (30). Na delegacia, foi informado que a coordenadora da Atenção Básica do Município, Simone de Carvalho Bareoza,  prestou queixa contra ele por ter fiscalizado as atividades do Posto de Saúde da vila da Passagem Grande.

“Eu fiquei surpreso, na sessão ordinária da Câmara, quando um funcionário da Prefeitura, cedido para a Delegacia de Polícia, adentrou ao prédio e me entregou uma intimação para depor na Delegacia. Li, vi que não tinha assunto pautado, fui conversar com o delegado e fiquei ainda mais surpreso em saber da ocorrência feita pela funcionária do Posto de Saúde, creio que ela seja dentista, mas se apresenta como coordenadora, e me acusou de ter fiscalizado o posto de saúde”, conta o vereador.

No registro de ocorrência, Simone Bareoza disse que, no dia 16 de junho, o vereador e o pesquisador Deco Souza, “fizeram vídeos supostamente mostrando que  o posto estaria fechado e que os atendimentos estariam sendo feitos por telefone”. Segundo ela, o posto tem funcionamento normal. O relato da servidora foi feito no dia 26 de junho ao escrivão Michel Anderson Azevedo.

Ocorrência policial foi registrada pela servidora da Prefeitura alegando que o vereador estaria fazendo filmagem dentro do posto
Morador da Comunidade Quilombola Deus Ajude, o pesquisador da Universidade Federal do Pará (UFPa), Deco Souza, apareceu em reportagem apresentada em 16 de junho pela TV Liberal, mostrando postos de saúde abandonados Salvaterra. O vereador confirma que acompanhou o pesquisador na visita aos postos de várias localidades da cidade para ver de perto a situação dos atendimentos. Segundo eles, desde o início da pandemia de coronavírus, não há qualquer atendimento nos postos de saúde das comunidades quilombolas.

Após Igor Barros prestar esclarecimentos, o  delegado Yan Roberto Silva, titular da Delegacia de Salvaterra, disse que o vereador tem imunidade parlamentar e não será adotada nenhuma medida contra ele e que  Polícia Civil deve ouvir nesta quarta-feira (1) a servidora que prestou queixa contra o parlamentar.  

TRANSPARÊNCIA

Em suas redes sociais, Igor Barros tem criticado a falta de transparência na gestão de recursos públicos pela Prefeitura de Salvaterra durante a pandemia de coronavírus. Além da reabertura dos postos de saúde, ele cobra o cumprimento da decisão judicial de 8 de maio, na qual o juiz de direito Wagner Soares da Costa determinou que a Prefeitura dê ampla publicidade à aplicação das verbas recebidas e demais ações de enfrentamento à pandemia.

Sem resultado efetivo para a decisão judicial, no dia 23 de junho a Câmara apreciou a solicitação do vereador Igor para a criação de uma Comissão de Acompanhamento dos Gastos no Combate à Covid-19, mas a proposta foi rejeitada em plenário por cinco contra quatro votos. Ainda este ano, o vereador procurou os meios jurídicos para tentar garantir que o dinheiro do pré-sal destinado ao Município fosse investido na área da saúde. O dinheiro está parado nas contas da Prefeitura desde dezembro de 2019.

Comentários

  1. Lutar em favor do coletivo e das coisas certas é DESAPONTAR os interesses pessoais dos tripulantes da velha máquina corrupta. Por tanto, a tarefa é árdua, mas justa! Pra cima, não para nada porque Deus sabe de todas as coisas.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns igor barros eu tenho fé que vc vai consegui acabar com toda essa roubalheira

    ResponderExcluir

Postar um comentário