SALVATERRA I Justiça Eleitoral condena Cirlene Oliveira Araújo por propaganda eleitoral extemporânea

 A Justiça Eleitoral condenou nesta quarta-feira, 12, a pré-candidata à prefeitura de Salvaterra, Cirlene Oliveira Araújo (MDB) por propaganda eleitoral extemporânea. A decisão foi motivada em razão da pré-candidata e outros dois pré-candidatos a vereadores terem distribuído cestas básicas em uma comunidade quilombola da cidade propagado o feito em rede social.

Ex-primeira-dama do município de Salvaterra Cilene Araujo distribuiu cestas básicas e material de combate a covid-19, em uma comunidade quilombola durante a pandemia do novo coronavírus na companhia dos também pré-candidatos a vereadores Suzi Oliveira de Araújo e Saulo Oliveira de Araújo, ambos filhos do ex-prefeito Juca Araújo. 

Além da distribuição do material na comunidade, o que configura vantagem econômica para o eleitor, os acusados registraram todo o feito e divulgaram e deram publicidade ao ato através de publicações no Facebook.

A representação contra o ato ilegal foi feita pelo Partido Liberal (PL),  assinada pela presidente Municipal da legenda, Oscarina Barbosa,  também pré-candidata a prefeitura da cidade. O Ministério Público Eleitoral, considerou procedente as acusações feitas pelo PL.

Na decisão, o juiz eleitoral Acrísio de Figueiredo, determinou “a imediata retirada de todo e qualquer conteúdo nas redes sociais em que os representados apareçam distribuindo cestas básicas bem como se abstenham de renovar tal prática sob pena de multa diária”  e  reconheceu a ilicitude da conduta dos representados, aplicando multa de R$ 5.000


Comentários